Delator no caso FIFA começa a chorar após réu fazer gesto de “cortar garganta”

Segundo os procuradores esse gesto foi feito pelo menos duas vezes no dia 14 e 15 pelo reu Burga. O advogado do reu, o peruano Bruce Udolf negou que seu cliente estava fazendo qualquer tipo de ameaça. Segundo ele, seu cliente é “tímido” e estava apenas sentindo uma coceira na garganta.

Alejandro Burzaco ao centro e seus advogados

Alejandro Burzaco ao centro e seus advogados

O delator Burzaco começou a chorar sem parar no último dia 15, justamente um dia depois do ex-executivo Jorge Delhon tirar a própria vida em Buenos Aires. Ele havia sido acusado pelo delator de receber propina em troca de contratos de transmissão de jogos.

Assim que o julgamento reiniciou os procuradores pediram para a juíza Pamela K. Chen que está atualmente julgando, o caso que a prisão domiciliar do delator fosse mais rígida. E foi determinado que Burga não poderia mais usar nem telefone e nem internet – o que antes era permitido.

O ex-presidente da CBF José Maria Marin também é réu nesse caso, e está atualmente em prisão domiciliar na Trump Tower – Um apartamento que fica perto do Central Park.

Qual foi sua reação?